Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

voos de mulher

E ela não passava de uma mulher... inconstante e borboleta. [Clarice Lispector]

adormeço entre os abraços das palavras

04.08.21 | voosdemulher

mulher-caminhando.jpg

Com o tempo aprendi a amordaçar a dor e a calar a mágoa que impele a ira nas palavras. Sou brisa de um vento ameno que se esconde em convulsões nervosas. Trago comigo tempestades invernosas e devaneios só meus.

Adormeço entre os abraços das palavras que me desarmam na meiguice terna de um sincero olhar. Vento e mar. O calor do sol na pele à tonalidade salgada dos afectos. Sou a perpendicular em caminhos paralelos. A vertigem da promessa entre segredos. O suor de uma batalha interior que nos espicaça a alma. A impaciência precoce da calma.

Talvez os pés sejam apenas parte da história de um caminho, que entre os silêncios do tempo, têm de ser cumprido.

 

2 comentários

Comentar post